quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Eu e as Barbies

Assumo com muito orgulho que desde pequena curtia brincar de casinha, sim.
Que a Barbie e o Ken se casavam e tinham dois filhos e uma casa que mais parecia um palacete.

Minha mãe estava sempre de olho e as vezes brincava comigo. Mas não sempre. Ela achava que o "desenrolar" da brincadeira nada mais era reflexo do que eu vivenciava em casa, então ela me deixava bem a vontade mas vez ou outra perguntava a quantas andava a vida das minhas bonecas.

Um dia minha barbie estava sozinha em casa só cuidando das crianças. Daí o Ken chegava em casa, ligava a tv, sentava na poltrona e lá vinha a barbie, com avental e lencinho na cabeça levando o jantar na poltrona. Seriamente, o Ken pedia pra que ela tirasse os sapatos dele. Com todo o charme, ela tirava e saía de cena pois um dos bebês chorava muito.

Minha mãe que passava por ali, perguntou o porque o bebê estar chorando tanto. Contei o enredo da situação e eu vi que ela mudou de feição e perguntou da onde eu tinha tirado aquilo. Falei que eu tinha visto no filme da tarde que as mulheres faziam aquilo.

Como toda professora feminista que se preze, minha mãe falou que aquilo não era o correto. Que eu devia olhar para a Barbie que estava desenhada na caixa e comparasse com aquilo que ela estava sendo naquele momento. (Era a Barbie médica). E eu me lembro bem do que ela disse: "Filha essa sua Barbie é médica! significa que ela tem uma profissão. Ela está com o Ken porque o ama, e não porque precisa cuidar dele. Entendeu agora? Ela pode cuidar da casa, do Ken e dos filhos. Mas antes de tudo, ela é a Barbie. E tem uma profissão."

Eu tinha somente 5 anos mas entendi tudinho. Mesmo se a profissão dela for cuidar da própria casa (e do marido) ela é antes de tudo a poderosíssima Barbie. E uma Barbie médica!

Relembrando disso quase agora, liguei pra minha mãe. Ela me relembrou que sempre me dava Barbies, mas todas temáticas: Médica, tenista, amazona, atleta, professora. As Barbies modelos"vai as compras" "festa" e "princesa do campo" ela nem passava perto. Ela disse que "elas tinham que ter um referencial decente".

Uma lembrança que eu estava esquecida, mas que me influenciou pro que eu sou hoje.

Esse texto é pra você, Mamãe! Que sempre lê o blog mas não posta comentários porque "Ai filha não sei mexer muito nessas coisas não."

Te amo muito!


Fernanda.

8 comentários:

Ana Banana disse...

Ah eu adorava brincar de casinha, mas tinha ódio mortal da Barbie. A única que eu tive foi parar no meio de um bolo de aniversário (o bolo era o vestido dela). Como eu não tinha muita gente pra brincar comigo adorava brincar de consultório e de cientista com os meus avós.
Muito bom o texto.
Beijjos

Fabiane Siqueira disse...

Sra. Mãe da Fernanda - o comentário é para Sra.

Parabéns pela inciativa, bastante futurista na sua época!
Ensinar aos nossas filhas como serem mulheres adultas, é que o que fará a diferença!!
Eu sou um pouco mais radical..rs... minha filha tem 2 anos e eu ainda não tive coragem de lhe comprar uma boneca...rs
bjo bjo

Páginas Da Minha Vida disse...

nossa, fiquei fã da sua mãe.acho que é a única que comprava brinquedos, que no fundo serviam como lições.
na minha casa rolava algo parecido, com a diferença que todas as minhas susis, eram mães solteiras, e tinham vários namorados.aí minha mãe via e perguntava:" por que mãe solteira?"
minha resposta era : " porque é legal, mãe!é diferente!" e ela olhava para mim sem saber o que me dizer kkkkkkk tadinha.

adorei seu texto!

bjs

Fabi Skrobot disse...

Nossa, Fer,
Que lindo!
Quero que a Anna um dia se lembre de mim assim...
Beijos!!

Jenifer Dias disse...

Lindo!

Ácidas e Doces disse...

Oi Fer
Eu lembro de uma Barbie que tive, não tenho ideia de como eu brincava com ela. Numa dessas ela era uma solteira poderosa porque nunca tive um Ken. E assim abre-se um ferida terapêutica.
Beijo
Kézia

Luciane disse...

que lindo, Fer!!
Eu tinha a barbie ginasta. Mas também tive a Xuxa e a barbie noiva. rsrs. Pra minha filha (quando chegar lá) também só vou dar as temáticas... bancárias, astronautas, cientistas... hahaha ;) Inspiradas pela Sra. Mãe da Fernanda. =)
Bjo grande

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Fernanda querida,
Dê duas beijocas estaladíssimas na senhora sua mãe por ter sido essa mãe maravilosa!!!! Que todas as meninas tenham a sua sorte é o que eu mais quero na vida pois é de exemplos assim que estamos sempre precisando! Eu tenho minhas restrições às Barbies (Claro...hahahaha..., elas são muito magras!!!!), mas que sacada genial da sua mãe!
beijocas garotas....
Mari