terça-feira, 26 de outubro de 2010

O BOPE

Relato do Capitão Lopes à correspondente Kézia

Em Curitiba quem quer ser se dar bem deve escolher: ou se corrompe ou se omite ou vai para a guerra. E se você escolhe ir pra guerra, parceiro, tem que saber fazer. A cidade tem mais de 700 baladas todas dominadas por mulheres armadas até os dentes. Nenhuma quer ficar sozinha. E é assim que a banda toca. Se a mina quer carinho, o que ela vai fazer? Correr o risco de se decepcionar? É claro que não. Vai ligar pro BOPE. O Batalhão de Operações dos Pegadores Especiais.

O BOPE foi criado para intervir quando os pegadores convencionais não conseguem dar jeito. E aqui em Curitiba isso acontece o tempo todo. O BOPE vive na balada para pegar mulheres. Neste batalhão só entram os pegadores. Pega-ninguém aqui não se cria.

Meu nome é Capitão Lopes e eu chefiava a equipe Alfa do BOPE há 12 anos. Eu já tava naquela guerra há muito tempo e tava começando a ficar cansado dela. A guerra sempre cobra seu preço e quando o preço fica alto demais é hora de pular fora. Eu precisava arrumar alguém para ficar no meu lugar no Comando do BOPE.

Por muito tempo o Tenente Marcos esteve comigo e passou por diversas operações nas baladas. Já invadimos favelas e casas de Raposas na Barra. Ele não era fácil. Ele tava tão louco com o trabalho do BOPE que pegava qualquer coisa.

Tinha também o tenente Galeb. O cara era ex-PM (Pegador de Momento). Este tipo de pegador só se dá bem quando a mina dá moral. É vagabundo. Quer ficar apenas na rebarba dos outros. A última dele foi perder uma mina para um pegador de outra unidade. Cara, isso acaba com a imagem do BOPE.

Por fim tinha o Fábio e o Borges. Começaram como aspirantes no batalhão convencional. Era de caras assim que eu precisava. Na verdade eu precisava da inteligência de um e do coração do outro. Se eu pudesse ter juntado os dois a minha história não teria sido tão difícil. Mas quem disse que a vida é fácil.

O Fábio não tinha muita experiência. Muito tempo corrompido. Daí, é aquela, quando entra no BOPE o cara fica fissurado. O importante para ser um pegador é não desistir e não deixar nenhuma raposa escapar. E pra aprender isso ele ia ter que ralar muito. O problema do Fábio é que ele era movido pelo coração. Ele mirava um único alvo. Não via que às vezes dá pra matar dois coelhos com uma porrada só. A corrupção ainda tava na veia. E quando se trata de raposas, meu amigo, não pode ter uma única estratégia de invasão porque este erro pode ser fatal.

O Borges... ah este tinha potencial. Tinha o espírito dos pegadores. Era frio. Não escolhia o alvo e atirava em todo mundo. Sua auto-estima era tão alta que um corte não o abalava. Ele parecia eu quando entrei no BOPE.

Foi ali no BOPE que nossos destinos se cruzaram. Eles precisavam da força de um batalhão e eu precisava de um substituto. As opções eram poucas e eu precisava ser rápido. O que eu não sabia é que a missão de 11 de outubro mudaria para sempre a minha história e de toda corporação.

Era meu aniversário. E sabe como é ser Capitão... o batalhão espera que você esbanje. Eu tinha que juntar todas as minas num mesmo lugar. Eu sabia que ia dar merda. O morro já tinha muita mulher e levar mais minas lá, com um monte de Vodka, era loucura. Mas aqui é o BOPE. Missão dada é missão cumprida.

Já de cara o Tenente Marcos tomou a frente e fechou uma boca. Pois é, aqui a farda não é azul, parceiro. É preta. Mas o cara deixou a equipe desfalcada. E eu sabia que não podia mais contar com ele.

O Fábio tava afobado. E neguinho afobado na favela dá merda. Basta uma tentativa de invasão frustrada no começo da missão e já desestabiliza o psicológico.

Naquela noite o Galeb e o Borges fizeram a mesma escolha que eu fiz 12 anos antes. Eles foram pra guerra. A missão era finalizar Che Guevara. O que aconteceu era inevitável. Galeb, como todo ex-PM, adotou formas pacíficas de sobreviver. Só que na guerra um cara não pode se omitir. Já o Borges, parceiro, o Borges foi treinado por mim. Tranqüilo. Calmo. Só faz o seu. Não deixa a presa reagir. Quando vi Galeb tava sem bandoleira. 3 anos de BOPE e ainda não aprendeu. Passei o rádio. “Borges, Che Guevara tá entrando sem colete”. Borges não pensou duas vezes. Pegou a 12 e atirou. O sangue chegou a espirrar na cara do Galeb. É parceiro, tava ali o meu substituto.

O BOPE vai deixar saudade. Só vive em paz quem aprende a lutar. A guerra foi a minha cura. Pensaram que eu ia cair, mas dessa vez eu caí pra cima. Posso até largar o BOPE, mas não deixo a Secretaria de Segurança. E daqui, parceiro, eu vou transformar o BOPE numa máquina. Segunda-feira é só história pra contar.


Nota da correspondente: Alguns nomes foram substituídos para preservar a identidade dos envolvidos. Quanto às operações, o comando é do Capitão, a responsabilidade é dele. E quanto a mim, se é pra cair, vou cair atirando.

12 comentários:

Marianne disse...

Minha amiga se superou desta vez...
Como é, no mínimo, intrigante perceber as situações da vida de uma forma diferente... Se encaixa perfeitamente!!! (hahahah)

Tropa de Elite! BOPE é isso aí!

Beijo!

Pedro Duarte disse...

kkkkkkkkkkkkk muito bom! Mas faltou o capitão Duarte! Ninguém lembra dele!

Ana Banana disse...

Amei a "paródia" heheheh, serve direitinho para a situação.

Beijos

Uma mãe em apuros! disse...

SENSACIONAL! Muito bom o blog d vcs. Vou linkar tá? Voltarei sempre, voltei ao mundo das blogueiras, meu blog antigo eu matei tem 1 ano, agora ressucitei. Tudo novo de novo!
bj

Anônimo disse...

Parabens 05, mais uma vez efetuou a missão com sucesso!!!!

Capitão Lopes

Anônimo disse...

Hahahahahaahahahaha

Quase morri de rir!

Em caso de bolas perdidas, inocencias perdidas, e se perder comigo. Chame o Comandante Assef.

Coyote disse...

Duarte e ASSFE.... vcs são farda Azul... Nunca serãooooooo!!!!!!!!!

Ass Capitão Lopes

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

hahahahaa....meninas parece que estou ouvindo o Wagner narrar...hahahaha
ótimo post, mas quero distância de homens assim!
beijocas,
Mari

Fabiane Siqueira disse...

hahahahaha.... A_D_O_R_E_I!!!

bjs

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Sensacional. Isso tem que sair numa revista feminina vai bombar!!!! Muito engraçado, queria conhecer os personagens pra rir ainda mais.

Irma

Ácidas e Doces disse...

Hello people
Vejo que alguns se autopromoveram pro BOPE. Mas isso é uma máquina mesmo!
Meninas, vocês deveriam conhecê-los mesmo. Garanto que são queridos demais. O Paraná está em boas mãos.
Beijo grande
Kézia

Ruandro Knapik disse...

Basta.