domingo, 25 de julho de 2010

Quero te encontrar ♫

Minha vida é feita de pessoas. Elas chegam e vão o tempo todo. E devagar me ajudam a construir o que eu sou. Essas que vão, nunca vão de verdade. Às vezes acontece um alinhamento no tempo e no espaço e a gente se esbarra por aí.
Gosto de reencontrar mais uma amiga psicóloga (devo ter um ímã freudiano) e da maneira como ela diz meu nome no diminutivo. Quando ela ri de todas as coisas que eu falo e diz “você não muda”. Gosto quando ela me olha com aqueles olhos enormes e balança a cabeça compreensiva. Eu nem sabia que sentia tanta saudade! Gosto também de encontrar seu namorado uruguaio. Ele também diz meu nome no diminutivo, como todos os meus amigos daquela época fazem, e ri balançando a cabeça. Começo a acreditar que algumas coisas por aqui estão mesmo iguais.

Gosto de encontrar minhas amigas de infância e dizer: “meniiiinas!”. Passar uma tarde inteirinha rindo dos desencontros da vida. Gosto quando a feliz tenta me acalmar “mas é por isso que ninguém dá certo...desencontros”. Gosto quando ela briga para eu largar algumas manias e usar essa porcaria de celular. Gosto quando entro no fundo da minha alma filosófica e ela se identifica. Assustador ser tão parecida! Gosto quando a zicada conta, daquele jeito engraçado, como as coisas que estavam ruins conseguiram piorar muito. Como a gente deve simplificar as coisas e construir juntos. Sofrer é inevitável e é melhor do que viver na dúvida. Gosto da forma como ela descomplica tudo e quando diz meu nome no aumentativo. Pega esse celular de uma vez!
Gosto de encontrar aquela que tem uma relação de amor e ódio com suas covinhas. Ela me ouve cheia de seus ahans e contribui com suas experiências. Espera, dúvida, desencontros e formas de controle. Jura que não sou doida e concorda com minhas teorias. Pessoas que chegam para ficar!
Gosto de encontrar aquela tão diferente e tão cúmplice no ambiente dela. Falar bem alto para conseguir falar tudo. Saber que se está no lugar certo quando a banda toca a sua música e esta música é do Claudinho e Buchecha. Mas ela diz que eu mudei. Muitas fotos para registrar estas mudanças. 7 anos de histórias de todos os tipos. Acho que aprendemos a gostar menos.
Começo a perceber que as pessoas mudam sim, mas existe a essência, e esta sim pode ser igual. E assim diz minha amiga loira (e psicóloga): “a cada instante sou uma pessoa diferente. Encontre-me no aqui e agora. Na riqueza deste momento!”




Um beijo muito grande e a gente se esbarra por aí
Kézia

8 comentários:

Marianne disse...

Acho que vale muito a pena pensar nas mudanças e nas novas pessoas que somos a cada dia que passa, com cada nova experiência vivida, com os aprendizados... mudamos o tempo todo!

E como diria Martha Medeiros "“Eu sou lúcida na minha loucura, permanente na minha inconstância, inquieta na minha comodidade...Não me leve a sério, sei que nada é definitivo. Nem eu sou o que penso que eu sou. Nem nós o que a gente pensa que tem".

Beijo!!!

Cristiane disse...

Verdadeiras amizades são assim, o tempo pode passar, mas a essencia nunca mudará.

Como é bom ter verdadeiros amigos!!

Beijos :-)

Mariane disse...

ADOREIIIIII KEZINHA...É SEMPRE OTIMO A GENTE MATAR A SAUDADE...SÓ TEMOS SAUDADES DAQUILO Q FOI BOM...BEIJO TE AMO

Mirella disse...

aaaaaaiiiiiiiii..... e o dom de escrever continua o mesmo! amei!

Fabiane Siqueira disse...

Meninas,

Adorei o blog... já estou seguindo!!

Parabéns!!!

bjo bjo

Juliana disse...

ai Kezinha!!!! te vejo falando!
apesar da distância, nunca esqueço...
bjos dessa psicóloga que vc ajudou a formar!hehehehe

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Kézia,

Tudo bom? Eu tb adoro amigas psicólogas, hahaha!!!

Beijão,

Bela - A Divorciada

Ácidas e Doces disse...

Meniiiinas
Muito bom mudar, bom ver que amigos são por muito tempo, bom matar a saudade e maravilhoso ter amigas psicólogas, fico feliz e meio nervosa de saber que elas me amam, mas resolvem minha vida sempre.
beijooo

Kézia