quarta-feira, 30 de junho de 2010

Mulherzinha

Eu tenho uma amiga que quando menstruou pela primeira vez, sua mãe fez um jantar especial para comemorar. Lembro da minha mãe ligando para o meu avô para contar quando foi a minha vez. E é assim com todas que eu conheço. Uma mudança muito comemorada, mesmo que você só tenha 12 anos.
E assim tocamos a vida, resistindo às cólicas e ao nebuloso período da TPM. Chorando ao assistir filmes, tendo pitis, acordando de “ovo virado” e mudando de humor ao ganhar um chocolate.
Mas somos simples, eu sei, muito simples por sinal. Quando eu quero chorar, eu choro. Às vezes eu vou ao banheiro, mas eu sempre choro e acho maravilhosa aquela sensação de relaxamento depois de um choro bem chorado. Quando eu quero dar risada, eu sei para quem ligar. Se estiver sempre acompanhada de outras mulheres, ninguém fica questionando se sou gay. Falo sobre os meus sentimentos e ligo para dizer que estou com saudade. Posso olhar para o celular umas 278 vezes por dia na esperança, de repente, ele tocar (e toda mulher sabe bem como é essa fase!). Também posso pedir ajuda para abrir vidros de palmito, ter medo de barata e sempre ter ajuda para trocar um chuveiro, a torneira ou um pneu. Outro ponto relevante: eu não tenho medo de ficar muda ao pedir ajuda. Eu peço!
Gosto de cuidar das pessoas. Que mulher que nunca sentou à mesa e fez o prato de alguém antes do seu? Ou fez um chá para um gripado? Ou uma sopa para um febril? Bom, a maioria das mulheres que conheço já e geralmente sabem o prato preferido daqueles que gostam e também sabem o que eles não gostam.
Gostamos de conversar com crianças e sentá-las em nosso colo. Choramos em casamento. Gostamos de decoração. Compramos sapatos. Reclamamos que não temos o que vestir. Pedimos elogios implicitamente e dificilmente conseguimos segurar um elogio. Tá, eu sei, dificilmente conseguimos deixar de falar qualquer coisa. Mas é porque somos comunicativas, muito expressivas e expomos sentimentos.
Temos sim muitos defeitos, mas e daí? Assumimos e procuramos corrigí-los. Aos poucos, claro. Porque se com todos eles já somos assim, perfeitas então, seríamos insuportáveis!

Beijo a todas e um ah, deixa disso Andy, sou preconceituosa não ao chorão
Kézia

3 comentários:

Cristiane Zancan disse...

Adorei o texto!

Traduz um pouco desses nossos sentimentos que muitas vezes não sabemos como descrever.
Essa nossa mistura de sensibilidade, cuidado e forma simples de ser e agir é maravilhoso.

Somo mulheres! Somos encantadoras pelo simples fato de ser MULHER. Somos um mix de sensibilidade e bravura. Somos tudo em uma só.

Maravilhoso ser mulher e saber que somos tão especiais :-)

Beijos!!

Marianne disse...

Adoro o jeito simples e completo que vocês conseguem descrever sentimentos e percepções tão complexas do mundo feminino.
Me identifico muito!
Beijo!!!

Fabi Skrobot disse...

Lindinha,
Adorei o texto!!!
Beijocas